Desenvolvimento e Sustentabilidade – Parte 2



Artigo escrito por:


Instituto Eckart - já publicou 6 artigo(s) no blog Responsabilidade Social Empresarial.



Redes de Conexão

A expressão Redes de Conexão nos pega surpresos muito mais por ser semanticamente diferenciada do que se formos investigar realmente o seu princípio. Na parte I deste artigo evidenciamos que viver e conviver em rede é uma atitude natural de todas espécies desse planeta, tanto no que diz respeito a sua sobrevivência, bem como, para aumentar sua competitividade. Então o que vem falhando quando o negócio se dá em relação à espécie humana? Particularmente e humildemente nós acreditamos que temos colocado a carreta na frente dos bois.

O projeto de franquia, o projeto de concessão de marca, o projeto de Redes de Cooperação, as comissões de CIPA, os comitês de inovação, até as associações tipo Clube, Igrejas ou outros encontros sociais acabam gerando muito valor para alguns e pouco para outros.  Um ciclo que já é nosso conhecido: os integrantes da REDE se dispersam, as iniciativas construídas coletivamente vão para dentro da gaveta e um grupinho passa a ditar ordens. Muito longe da sua finalidade que seria o crescimento e desenvolvimento de toda a REDE ao invés de promover o bem comum passa a representar interesses particulares. Uma Rede ideal é aquela de Conexão, quer dizer, que mantém um fluxo de informação e interesses harmoniosos e constantes, evitando o congestionamento. Isto mesmo, interesse todos temos, mas aqueles particularizados que visa proveito próprio prejudica o outro e os outros, congestionando o caminho de todos. Se a minha marca é beneficiada numa REDE DE COOPERAÇÃO, só como fins ilustrativos, eu irei crescer momentaneamente, mas congestionarei todas as futuras negociações, pois os outros participantes ao descobrirem passarão a ser retroativos em relação a própria rede. É como se existisse ali um corpo estranho e isso, algumas vezes e quase em todas, já é o suficiente para minar a saúde da rede e por fim matá-la.

Conforme Fritjof Capra (Ph.D., físico e teórico de sistemas, é o diretor fundador do Centro de Eco-alfabetização de Berkeley) a vida no campo social também pode ser compreendida em termos de rede, mas não estamos aqui abordando reações químicas; e sim comunicações. Redes vivas em comunidades humanas são as redes de comunicação. Assim como as redes biológicas são também auto-geradoras, mas o que geram é especialmente o impalpável. Cada comunicação cria pensamentos e significados, os quais por sua vez dão lugar a comunicações posteriores, e assim uma rede inteira gera a si própria.

Veja só e vá mais fundo no conceito do Capra, nos unimos naturalmente em REDE no campo da espécie humana para aperfeiçoar nossa comunicação. No caso da franquia do fast food Mc´Donald´s, por exemplo, você estará participando de uma conexão para que entre outras coisas adquira uma marca mais conhecida, uma gestão com tecnologias de informação de grande visibilidade, uma carteira de fornecedores compartilhada, mas no frigir dos ovos mesmo, o que o  Mac´Donalds vende para o seu franqueado é uma alta capacidade de conexão e grande ativo onde “cada comunicação cria pensamentos e significados, os quais por sua vez dão lugar a comunicações posteriores, e assim uma rede inteira gera a si própria”.  O McDonald´s tem 30 mil lojas e 50 milhões de clientes, uma Rede de Conexão extraordinária.

O processo grupal não se resume apenas em reunir pessoas que compartilham normas e objetivos almejados em relação ao mesmo fim, mas também entender o processo grupal como um sistema que compartilha crenças, explicações, e valores que se expressam no cotidiano e na prática social. Igual a qualquer outra experiência humana a Rede de Conexão implica relações de poder e de práticas compartilhadas, gerando um contexto comum de significados que é a sua identidade (intragrupos e intergrupos). Num processo dinâmico e sempre de grande movimento, ela é continuamente alimentada por comunicações adicionais. Enfim, antes de qualquer outro tipo de Rede devemos nos vincular aquelas que temos conexão, identidade como membros dela.  Desenvolvimento e sustentabilidade é a capacidade que temos de poder desenvolver relações sociais que aconteçam pela comunicação e cooperação entre pessoas. Sem que uns queiram dominar os outros, mas possibilitar que todos se expandam.





Nenhum comentário ainda... Seja o primeiro a deixar uma resposta!

Deixe uma Resposta

Você deve estar logado para fazer um comentário.

Faça seu cadastro na Rede O Gerente. O processo é rápido e gratuito .

Google Analytics Alternative