Desenvolvimento e sustentabilidade – Pausa



Artigo escrito por:


Instituto Eckart - já publicou 6 artigo(s) no blog Responsabilidade Social Empresarial.



Permitam uma pausa

Queremos dar uma pequena pausa no assunto que estamos tratando para abordar as arbitrariedades e insensatezes que temos visto por parte dos governos, particularmente do Rio de Janeiro e São Paulo em relação a profissões de alto risco como a dos Bombeiros, Professores e Eletricistas.

Um político deveria ser um trabalhador, mas temos certeza que a maioria dos cidadãos brasileiros se questionados em plebiscito sobre isso, diria que são uma cambada de vagabundos que nem o preço do pão e do leite tem noção do quanto custa. Quem e o que são eles para questionar a integridade de profissionais que diariamente colocam suas vidas em jogo para proporcionar mais qualidade de vida para outras pessoas?

É evidente que existe uma trama nojenta e atroz promovida pelos governos de SP e RJ, que ajudam as empresas de comunicação a lucrar com venda de publicidade e manchetes que questionam o trabalho de profissionais que atuam em atividade de muito risco. Trabalhamos desde 2008 junto aos eletricistas de transmissão de energia elétrica. A oportunidade em conviver com estes homens e mulheres de origem humilde, com pouca ou nenhuma escolaridade, por falta de oportunidade, ainda faz deles GIGANTES PELA PRÓPRIA NATUREZA, como diz a letra de nosso hino. Ao tentar entender por que são trabalhadores, por que escolheram ser honestos, por que ser pai, mãe, avó de pessoas que admiram trabalhar e ajudar os outros, e praticam ações como servir outras pessoas, a resposta é que isso lhes faz muito bem.  Muito diferente da politicagem brasileira que tem se tornado um atentado para os nossos bolsos. Indefesos dos desmandes efetuados pelos políticos todos nós pagamos um preço caro por tudo isso. Os empresários brasileiros pagam impostos altíssimos, os cidadãos recolhem impostos altíssimos e as classes menos privilegiada utilizam um serviço público que tem uma infra-estrutura precaríssima e a casa não cai, pois existem bombeiros e professores que são nossos heróis da resistência.

O ministro Palocci saiu do governo da Presidenta Dilma como ladrão e o que acontecerá? Apagão. Oitocentos bilhões de Reais são roubados, desviados com obras superfaturadas, cartão corporativos entre golpes de todas as espécie com dinheiro publico e os culpados? Apagão. O excelentíssimo governador do estado do Rio de Janeiro, não responde pelo que dá errado na área de segurança? Não responde pela corrupção que atinge a cúpula de sua polícia? Apagão. Corrupção no coração dos tucanos em SP aponta que Barros Munhoz é acusado de participar do desvio de R$ 3,1 milhões da Prefeitura de Itapira (SP), município que administrou até 2004 e como presidente da Assembléia de Cerra e Alckmin, ele não poderia, jamais, presidir um processo de impeachment contra Alckmin, no que se transformará tudo isso? Apagão.

Esses são os trabalhadores POLÍTICOS, no exercício de suas atividades de gestão de nossos recursos, que tornam o Estado brasileiro impraticável e falido, desenvolvendo leis em proveito próprio, conchavos em proveito próprio, desviando a informação para a população para outro foco para que ela não fique a par do que realmente deve ser esclarecido. O contribuinte de São Paulo, por exemplo, merece saber quanto o governo paulista gasta (ou gastou) com assinaturas da “Folha” e do “Estadão”? O contribuinte paulista merece saber por que o Estado contratou os serviços da editora Abril para fornecimento da revista “Novo Escola” – sem licitação? Por incrível que pareça também são os mesmos veículos de comunicação que têm condenado publicamente profissionais virtuosos que enfrentam diariamente animais peçonhentos, assaltantes, traficantes e parte de uma comunidade que adoeceu há muito tempo, sim a mesma que agride professores por tentarem educar os seus filhos que se tornarão como eles, marginais.

Para encerrarmos lhe propomos uma das muitas trocas que poderíamos fazer e que traria para o Brasil desenvolvimento e sustentabilidade. Trocar 1 parlamentar por 344 professores. O salário de 344 professores que ensinam é igual ao de 1 parlamentar ou político que rouba.





Nenhum comentário ainda... Seja o primeiro a deixar uma resposta!

Deixe uma Resposta

Você deve estar logado para fazer um comentário.

Faça seu cadastro na Rede O Gerente. O processo é rápido e gratuito .

Google Analytics Alternative