O que fazer com seus colaboradores?



Artigo escrito por:


Professor Paulo Sergio - já publicou 29 artigo(s) no blog Recursos Humanos.


Contador, Consultor, Escritor e Palestrante nas áreas de Treinamento e Desenvolvimento Pessoal e Profissional, Vendas, Motivação, Liderança, Perfil Profissional.

Essa matriz é uma ótima referência para você ter embasamento na hora de contratar, promover ou dispensar um colaborador.

1)  Se a pessoa está no 1º e no 2º Q, o que devo fazer? Note que é uma pessoa motivada, mas, que está incompetente. Há uma série de motivos para alguém ser considerado incompetente, mas, o que mais me preocupa não são os incompetentes, mas, sim, líderes que colocam pessoas competentes em lugares errados, ou seja, a pessoa não é incompetente, ela está incompetente na função que a colocaram equivocadamente, e não deram treinamento. As empresas têm perdido muitos talentos por os colocarem em funções para as quais eles não são bons. Tem gente que é fera em informática, entretanto, mal consegue se comunicar, mas, como é muito boa em informática, o líder a coloca para ser vendedor de peças e serviços de informática, matando a competência do colaborador.

O que precisa ser feito para que uma pessoa motivada, todavia, incompetente dê certo? Dar a ela treinamento, mas, não de palestras motivacionais, e sim, treinamento naquilo que lhe falta, sejam habilidades de comunicação, conhecimento do produto, da função.

2)  Se a pessoa está no 1º e no 4º Q? Ótimo, esse é o tipo de colaborador dos sonhos: motivado e competente. Mas, normalmente essas pessoas precisam de desafios, novas e maiores oportunidades. Raramente quem é motivado e competente aguenta uma rotina na qual não consegue ver crescimento contínuo. E nessas pessoas vale muito à pena investir. Não é ruim elas virarem estrelas, afinal, são ótimas no que fazem. O importante é a liderança deixar claro que não adianta apenas elas brilharem enquanto todos os demais se apagam. Uma estrela solitária não ilumina todo o céu empresarial. Porém, quase sempre pessoas motivadas e competentes reconhecem que o gol só saiu porque haviam bons zagueiros, laterais e meio-campo no jogo!

3)  3º e 4º Q: desmotivados, mas competentes também existem muitos. Às vezes as pessoas aceitam qualquer trabalho e não conseguem ver nele expectativas de realizarem seus sonhos, ou, sequer de manter sua dignidade. Mas, como competência tem sido algo raro, vale à pena a liderança pensar em formas de recompensar o colaborador. Mesmo que a empresa não possa pagar a ele o quanto merece, dar alguns bônus é importante, reconhecer seu empenho também, afinal, pode ser que a desmotivação não tenha a ver com dinheiro, mas, meramente com falta de elogios, tapinha nas costas, um aperto de mão, um “muito obrigado”.

4)  2º e 3º: por mais ser humano que eu seja, e adore ajudar as pessoas, é complicado ajudar quem é incompetente e desmotivado, sobretudo, no meio empresarial. Como Coach, eu faria de tudo para ajudar essa pessoa a se ajudar, mas, como empresário, a enviaria ao recursos humanos para demissão, afinal, nunca são os outros os responsáveis pelos nossos fracassos. Quem vive desmotivado e é incompetente fez sua opção, e, talvez a melhor forma de ajudá-la seja a demitindo.

E você, o que faria em cada um dos casos?

Envie sua resposta para contato@porofessorpaulosergio.com.br e ganhe um livro sobre NEGÓCIOS e EMPRESAS em formato PDF.

Abraço, fique com Deus, sucesso e felicidades sempre!





Nenhum comentário ainda... Seja o primeiro a deixar uma resposta!

Deixe uma Resposta

Você deve estar logado para fazer um comentário.

Faça seu cadastro na Rede O Gerente. O processo é rápido e gratuito .

Google Analytics Alternative